quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

As coisas que não sei (homenagem a clarice lispector - 01)




Lendo minha mais recente e preciosa aquisição, "Clarice", de Benjamin Moser, com a belíssima edição da Cosac Naify, me deparo com o trecho que transcrevo a seguir.

*Entre as últimas anotações de Clarice encontra-se esta: "Escrever pode tornar a pessoa louca. Ela tem que levar uma vida pacata, bem acomodada, bem burguesa. Senão a loucura vem. É perigoso. É preciso calar a boca e nada contar sobre o que se sabe e o que se sabe é tanto, e é tão glorioso. Eu sei, por exemplo, Deus."*


Essa passagem me enterneceu e fiquei pensando nas razões para isso. Eu, de minha parte, não faço a menor idéia sobre o que pensar ou o que saber de Deus. Não sei de mim, sei tão miseravelmente pouco dos outros e, provavelmente, estou a uma distância bem segura da loucura. Não sei do passado, mal sei de hoje, desconheço o futuro porque os caminhos que se descortinam são ambíguos e tão multifacetados como nossos sonhos quando estamos prestes a acordar. Muitas vezes me surpreendo duvidando das minhas próprias vontades. Vejo frequentemente desprezadas por mim mesma tanto as coisas que desejo muito quanto aquelas que definitivamente não quero. E casual como uma criança, fico feliz com algo que jamais imaginei querer. Sei um pouco sobre amizade. Mas sei quase nada sobre a angústia. Como ser amiga sem entender perfeitamente a angústia que ela sente? 
Sei absolutamente nada sobre as escolhas que nos desafiam todos os dias. Assim como esta: por que escolhi ser eu mesma?

O que sei é que é preciso escrever muito, de forma árdua, cansativa, custosa, perigosa. É preciso quase enlouquecer. É preciso aprender.

E, acima de tudo, é preciso tentar ser um pouco Clarice pra conseguir viver.


2 comentários:

  1. Quanto a mim, sei bastante sobre a angústia, e queria saber um pouco menos sobre isso. Sei mais de angústia do que de mim. E talvez eu me confunda com a angústia. Há uma música dos Secos e Molhados cujo nome é Angústia. E Clarice Lispector: aquela ali, se vc ler demais, pode não conseguir escrever mais (Caio Fernando Abreu sentiu isso). A mulher é o capeta. Eu queria saber falar da angústia como ela. E de todas as outras coisas. Amo Clarice, mas tenho medo dela.

    ResponderExcluir
  2. Legal sua foto na janela! As abelhas estão chegando...

    ResponderExcluir